Agro é POP, o agro é TÁTICOOH

Vamos começar com uma pergunta: Como profissional de comunicação e marketing, você já teve a oportunidade de viajar pelo país em diferentes estados, observando atentamente a diversidade das culturas do agronegócio brasileiro? Se a sua resposta foi não, comece a repensar seus roteiros de viagens, porque se não conhecer a fotografia da principal fonte de recursos e riquezas para a economia nacional, certamente vai começar a ter deslizes no planejamento estratégico dos negócios da sua empresa, e por consequência, aos seus anunciantes.

Vamos destacar o Centro Oeste brasileiro, que acumula 467 municípios, quase 17 milhões de habitantes, que juntos estão a caminho de representar 10% do IPC Brasil (Índice de Potencial de Consumo), temos 03 capitais e 01 distrito federal, que juntas representam 5% do IPC nacional, e com mais de 6 milhões de habitantes. Porém vamos observar as outras 463 cidades, com um olhar mais técnico, e se você ainda não fez isto, então é o momento. O interior do Centro Oeste completa o IPC da macro região com mais de 4% do país, possui 11 milhões de habitantes, com uma média de 23 mil habitantes por cidade, o que significa que a cada 20 cidades temos quase 500 mil habitantes, e, diga-se de passagem, neste perfil no país, existem apenas 13 cidades.

E no centro oeste, usando este exercício seriam 22 cidades, e melhor, com alto poder de consumo em função do agronegócio. Suas rodovias pavimentadas que interligam todo este potencial, são mais de 25 mil quilômetros, responsáveis pelo escoamento das riquezas, e nelas encontramos inúmeras peças de Mídia OOH de grandes formatos, que são os painéis de rodovias. Eles, os painéis, estão localizados estrategicamente ao longo das rodovias, alguns nas praças de pedágios, outros nos trevos das cidades ou em zonas urbanas, formam um grande potencial “TÁTICOOH” para as campanhas publicitárias de quaisquer segmentos econômicos, sejam elas, ligadas ao agronegócio, como sementes, silos, máquinas e implementos, dentre outros, que a tempos conhecem bem esta tática de mídia, o que mantém revigorado a cada ano o branding junto ao seu público alvo.

Mas, os grandes formatos OOH, são indispensáveis aos demais segmentos, que infelizmente, poucas marcas usufruem deste patrimônio tático. E, a responsabilidade de difundir e usufruir deste potencial de mídia que está pronto, 24 horas no ar, depende da percepção dos profissionais de marketing, em sintonia com o mercado publicitário, e claro, também dos veículos OOH, e que tem a obrigação de divulgar profissionalmente seus ativos.

O sucesso de uma empresa de comunicação está diretamente ligado à sua visão detalhada dos mercados, respeitando a importância de cada segmento econômico como potencial anunciante. A prova mais crível deste conceito, está na melhor estratégia de marketing do setor, a Rede Globo, e não é à toa, que lidera os investimentos do bolo publicitário.

Atualmente é questionada por muitos nas suas posições editoriais, mas é indiscutível a sua percepção de valor e desenvolvimento dos programas, analisando a cada minuto o perfil da sua audiência, visando aprimorar o conteúdo, e com isso, receber investimentos recorrentes nos seus intervalos comerciais, onde centenas de marcas, produtos e serviços são atendidos simultaneamente nas 120 exibidoras espalhadas pelo território nacional.

Um conceito de comunicação com muita visão de marketing institucional, e que abraça um segmento econômico de forma inquestionável, derivando a sua força de capilaridade e redistribuição de renda, foi elaborado pela Rede Globo ao agronegócio, onde faço questão de homenagear na íntegra, o áudio em texto do comercial conceito, e todos podem rever o comercial no link, pois vale a pena realmente ler, ver e rever de novo, vamos ao texto:

O agro está em tudo, nas máquinas que colhem os grãos, que se transformam em ração, que alimentam animais que geram leite, carne, lã. Lá e algodão geram roupa. Roupa tá na moda. Moda gera lucro, que gera emprego e investimento, que volta para o campo, aumentando a produção de trigo, milho, cana. Cana faz etanol, que movimenta carros. Carro tá na propaganda que anuncia tudo. O pneu de borracha que vem das árvores, o sapato de couro que vem do gado. Tudo vem do agro. Agro é tech, agro é pop, agro é tudo. Agro a indústria riqueza do Brasil. Tá na Globo”.

Rede Globo

Agora façamos uma outra homenagem, e com muito atrevimento adaptando um “plágio reflexivo”, e que recomendo a todos os segmentos econômicos que façam como fonte de conscientização e exercício de gestão, focando qual a importância da sua empresa, e de todos os seus profissionais na contrução da economia nacional, gerando mais empregos para a sociedade consumidora, para que fique cada vez mais forte, vamos ao exercício para a Mídia OOH:

A Mídia OOH está em todos os lugares. No campo onde colhem grãos, que se transformam em ração, que alimentam animais que geram leite, carne, lã. Lá e algodão geram roupa. Roupa tá na moda. Moda gera lucro, que gera emprego e investimento, que volta para o campo, aumentando a produção de trigo, milho, cana. Cana faz etanol, que movimenta carros. Carro tá na propaganda que anuncia tudo. O pneu de borracha que vem das árvores, o sapato de couro que vem do gado. Na Mídia OOH cabe tudo. O que vem do agro. O que vem da tech. Mídia OOH é para todos. OOH é pop, OOH é tudo. Mídia OOH acompanha a riqueza do Brasil. Tá nas cidades, tá nas rodovias, tá nas lojas, tá no salão de beleza, tá no posto de gasolina, tá na farmácia, tá na padaria, tá na academia, tá no supermercado, tá no shopping, tá no metro, tá na rodoviária, tá no cotidiano das pessoas, tá em todo Brasil“.

Como disse, é apenas um plágio reflexivo em forma de homenagem, espero que tenha despertado em vocês uma nova visão de macro região, usamos o Centro Oeste, mas vale o exemplo para todo território nacional.

Para completar a homenagem à fonte, ou seja, a Rede Globo, veja algumas ilustrações que estão disponíveis como forma educativa aos mercados extraídos do “Mapa da Mina” que faz parte de inúmeras informações do seu Midia Kit.

Uma empresa de comunicação, que visa investimentos recorrentes, precisa ser no mínimo transparente nas suas informações de base, como cobertura, sua abrangência, potencial de consumo, perfil demográfico, ter um posicionamento estratégico e tático, fornecer dados de audiência, promover abertamente seu custo benefício e por fim ser didática no atendimento e prospecção de clientes.

A mídia OOH e DOOH vem aumentando a sua participação no bolo publicitário, por consequência sua exibidora também está crescendo, mas você tem consciência disso? Sua equipe vem sendo capacidade para o momento e para o futuro? Está filiada pelo menos a uma associação do segmento para manter intercâmbio de cultura e negócios? É cliente de uma plataforma que fornece audiência das suas peças? Respondeu não para quase todas as alternativas?

Então vamos concluir com um recado muito importante: A Rede Globo que procurei homenagear, agora também é um “player OOH e DOOH, será que ela vai ser negligente com o marketing do segmento que ingressou recentemente na prospecção de clientes? Obviamente não, então fica a dica, no mínimo siga os passos do líder, seja TÁTICOOH.


Laércio Ferreira da Silva

CEO – Instituto INFOOH

Informações Out Of Home

[email protected]

@prof.laercio_ferreira